Bíblia e Comunicação – Redundância

Bíblia e Comunicação
Erní Walter Seibert
IV Fórum de Ciências Bíblicas – Barueri, 5 e 6 de junho de 2008
______________________________

3.13 Redundância

O conceito de redundância em comunicação provém da teoria da informação. Considera-se redundância na comunicação todo elemento da mensagem que não contenha nenhuma informação nova. Por exemplo, dizer que a capital da França é Paris, contém zero de informação nova. A frase é pura redundância. Absoluta novidade seria dizer que a capital da França é Pindamonhangaba.

Numa língua, em geral, as vogais são redundância. Vejam como seria fácil a leitura da frase: “CPTL D FRNÇ É PRS”. No hebraico, originalmente, não se escreviam as vogais, e, nem por isso, há muitas dúvidas sobre o siginificado do texto. A redundância ocupa normalmente cinquenta por cento das línguas.

A redundância é incluída na comunicação para compensar os ruídos que surgem ao longo do processo. Se uma linha telefônica não está muito boa, repetimos com mais volume e mais vagar o que dissemos, para que o receptor capte a mensagem. O mesmo acontece diante de uma platéia. Se o comunicador precebe que não está sendo entendido, ele diz a mesma coisa novamente, utilizando outras palavras e exemplos, para se comunicar.

O conceito de redundância sempre está em tensão com a lei da economia em comunicação. Ambos os conceitos precisam estar presentes.

¬^^

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Bíblia, Comunicação, IV Fórum de Ciências Bíblicas, Linguística

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s